O IDEP tem como missão gerar soluções jurídicas práticas, criativas e eficazes em todas as áreas do direito, sempre preservando os valores éticos e sociais. Saiba onde estamos localizados e como entrar em contato conosco. Clique aqui

Usucapião extrajudicial ganha efetividade prática com a Lei 13.465/2017

 

Apontada como uma das principais novidades do Código de Processo Civil em vigor, a usucapião extrajudicial surgiu como importante instrumento de regularização fundiária de imóveis urbanos e de desburocratização de procedimentos. Todavia, apesar de festejada, a inovação terminou se esvaziando em virtude de barreiras criadas pelo mesmo texto legislativo que a criou.

Conforme redação original, fora inserido o art. 216-A à Lei de Registros Publicos (Lei 6.015/1973), em cujo caput instituiu-se que “sem prejuízo da via jurisdicional, é admitido o pedido de reconhecimento extrajudicial de usucapião, que será processado diretamente perante o cartório do registro de imóveis da comarca em que estiver situado o imóvel usucapiendo, a requerimento do interessado, representado por advogado”.

Em seguida, o dispositivo dispunha sobre os elementos que deveriam instruir o requerimento, entre os quais constava a exigência de “planta e memorial descritivo assinado por profissional legalmente habilitado, com prova de anotação de responsabilidade técnica no respectivo conselho de fiscalização profissional, e pelos titulares de direitos reais e de outros direitos registrados ou averbados na matrícula do imóvel usucapiendo e na matrícula dos imóveis confinantes.”

Tal exigência, além de descaracterizar o instituto da usucapião, transformou a via administrativa em alternativa inviável. Em primeiro lugar, a concordância expressa d…

 

 FONTE: Ver notícia na íntegra em Consultor Jurídico

Comments ( 0 )

    Leave A Comment

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    eXTReMe Tracker